Porquê colecionar obras de arte?


Colecionar é uma arte, então uma coleção pode ser uma relevância maior ou menor, conforme sua forma de organização, sua composição e como o colecionador se coloca no sistema da arte. Na arte deve-se ter liquidez. O ato de colecionar é um propósito, um objetivo, uma razão de vida.  

 

Investir em arte, além de dar um maior prazer visual, faz com que o investidor conviva com um objeto de investimento, o que não é possível no caso de aplicações ou ações, para citar dois exemplos. Não há como usufruir esteticamente da bolsa de valores. Outra característica importante é que se trata de um investimento de longo prazo, pois a lucratividade aumenta com o passar dos anos.

Há dois tipos de investidor aqueles que priorizam esse tipo de obra e dedicam-se a colecioná-las exclusivamente e aqueles que querem iniciar suas experiências no mercado de arte e que começam pelos papéis, que geralmente tem o preço mais baixo. Ambos são apaixonados por arte, naturalmente.

Acima de tudo deve ter uma identificação do comprador com a obra. Um verdadeiro colecionador não irá adquirir uma obra por méritos financeiros. Ele cria um vínculo afetivo com a peça, o comprador sempre tem interesse por obras de cunho histórico, órgãos públicos normalmente adquirem peças, que são parte importante na compreensão da história da construção e evolução cultural do Brasil.

Hoje em dia há muitos bons artistas produzindo arte no mercado, felizmente está cheio de artistas talentosos. 

 

 

 

* Casa dos colecionadores e artistas Dalton Costa e Maria Amélia Vieira. 

Larissa Gomes

Assessora de Comunicação 

Facebook



Leia Também


  • Festa Literária Ribeirinha
  • Projeto cultural do Museu Coleção Karandash incentiva o hábito da leitura no sertão
  • Artistas e escritores promovem ação literária no Rio São Francisco